quarta-feira, junho 22, 2005

que Ele me espera ansiosamente...

Os projectos que quero realizar nos dois próximos anos são, provavelmente, muito mais do que aquilo que poderei vir a ganhar algum dia.

IR A SÃO TOMÉ! é uma vontade que nasceu cá dentro, é uma certeza de que vou levar e vou trazer, vou crescer e plantar. Vou edificar...em nome do camtil, abençoada pelo Pai e acompanhada pelo Espírito Santo. A vontade de construir faz parte de mim, construir pontes, criar laços, levar o Amor!
Levar o que eu sou, levar o que quero ser...
deixar-Te mostrar-me o quão grande eu posso Ser!
O meu futuro não passa, no presente, pelo jornalismo (ainda que eu saiba que esta é uma profissão que me preenche e realiza!). Passa por ser para os outros, passa por viver, passa por experimentar....passa por Sonhar!(Deus quer, o Homem sonha, a Obra nasce!)
O sonho comanda a vida...

Imagino-me na VOLTA AO MUNDO, imagino-me acompanhada, imagino-me só...não consigo imaginar o meu regresso: o que vou ser, o que vou sentir, o que vou querer.
Mas de uma coisa tenho a certeza!
Vou partir livre e chegar livre, vou partir com tudo o que sou, para entregar tudo o que tenho.
Para voltar cheia!


Quando partires em direcção a Ítaca,
que a tua jornada seja longa
repleta de aventuras, plena de conhecimento.
Espero que a tua estrada seja longa
Que sejam muitas as manhãs de verão,
que o prazer de ver os primeiros portos
traga uma alegria nunca vista.

Nunca percas Ítaca de vista,
pois chegar lá é o teu destino.
Mas não apresses os teus passos;
é melhor que a jornada seja longa
e o teu barco só ancore na ilha
quando já tiveres enriquecido
com o que conheceste no caminho!
Não esperes que Ítaca te dê mais riquezas;
Ítaca já te deu uma bela viagem.
Sem Ítaca jamais terias partido,
ela já te deu tudo, e nada mais te pode dar.

Se no final achares que Ítaca é pobre
não penses que ela te enganou
Porque te tornaste um sábio, viveste uma vida intensa
e este é o significado de Ítaca!


1 Comments:

Anonymous Tó Gama... said...

A Águia Real.

Um homem encontrou um ovo de águia.
Levou-o, e colocou-o no ninho de uma galinha, numa capoeira.
A águiazinha nasceu e foi criada com uma ninhada de pintos.
Durante toda a sua vida a águia fez o que faziam os pintos, pensando que era um pinto.
Escavava a terra em busca de grãos de milho e minhocas, picando e cacarejando.
Até sacudia as asas e voava apenas uns metros pelo ar, tal como os outros.
Afinal não é assim que voam as galinhas?
Passaram dois anos e a águia tornou-se mais velha.
Um dia avistou por cima dela, num céu límpido uma magnifica ave que flutuava elegante e majestosamente entre as correntes de ar, quase sem mover as suas poderosas asas douradas.
A velha águia olhava maravilhada para cima:
"Que é aquilo?" Perguntou a uma galinha que estava junto dela.
"É a águia, a rainha das aves", respondeu a galinha.
"Mas não penses nisso, tu e eu somos diferentes dela."
Assim a águia não voltou a pensar mais nisso.
E morreu pensando que era uma galinha de capoeira.

Moral: É por isso que acho tão importante fazermos este tipo de "voos", quer seja para S. Tomé, quer para Cabo Verde, sem sabermos o que nos espera. No fundo sem sabermos quase nada. Apenas, como dizes, "Imaginando a VOLTA AO MUNDO, imagino-te acompanhada, imagino-te só...sem conseguir imaginar o regresso: o que vais ser, o que vais sentir, o que vais querer."
Sem ter medo de arriscar.
Numa outra versão desta história, a águia vai falar com uma outra galinha e pede-lhe ajuda para começar a voar pois identifica-se com a dos céus e ao fim de algum treino ela consegue.

Espero que gostes....bjinhos eu

28 junho, 2005 01:57  

Enviar um comentário

<< Home